© 2013 EliBredaVidal                                           
                                                                   
Empilhaoeste
NOSSA EMPRESAPRODUTOSSERVIÇOSCONTATOPERGUNTAS FREQUENTES 
PERGUNTAS FREQUENTES

1. Quais são as preocupações na compra de Empilhadeiras?

Hoje podemos destacar que a preocupação está voltada para a produtividade aliada à segurança e ergonomia, sempre com um pós-venda que

atenda as necessidades de nossos clientes. Outros fatores que as empresas deveriam se preocupar é com o consumo de combustível e índices

de poluentes. Aconselhamos sempre nosso cliente a solicitar a visita de um consultor técnico para observar as características de movimentação

de carga no local onde será usado a Empilhadeira, como por exemplo, tipo de piso, largura do corredor de armazenagem, alturas de passagens

da empilhadeira, centro de carga, elevação dos garfos, etc., ou participar do projeto futuro para não cometer enganos na compra de Empilhadeiras.

É necessário também pesquisar sobre o fornecimento das peças de reposição e a facilidade na manutenção do equipamento junto ao seu

distribuidor.

 

2. O que é Centro de Carga?

Para estabilidade da Empilhadeira é necessário obedecer ao centro de carga que é a metade da medida longitudinal da carga à partir do

protetor de cargas. Exemplo: Para uma palete de 1200mm x 1200mm, o centro de carga é 600mm. Caso o centro de carga seja com valor

alterado que o denominado pela capacidade do fabricante, é necessário verificar a capacidade residual que a Empilhadeira irá suportar

com essa outra condição.

 

3. Mas o que é Capacidade Residual? 

É a capacidade que a Empilhadeira irá suportar após condições adversas de operação fora das especificações do fabricante, cujos cálculos

serão feitos sempre através de um consultor técnico.

 

4. Qual a diferença na aplicação de Torre Simplex e Torre Triplex?

Basicamente podemos dizer que Torre Triplex é aplicada no carregamento e descarregamento de contêineres, onde é necessária uma torre

abaixada com altura suficiente para passar sob a porta do contêiner. As Torres Triplex permitem ainda elevação livre, ou seja, os garfos

atingem determinada altura sem que a torre aumente seu tamanho fazendo assim que não toque o teto do contêiner. Não necessariamente as

Torres Triplex têm elevação maior, pois tanto as Simplex como as Triplex têm diversas frações de elevação de altura dos garfos.

 

5. Qual a melhor opção de Pneus para minha Empilhadeira? 

Há diversos tipos de pneus, sendo os mais usados os Pneumáticos (com câmara) e os Superelásticos (maciços). Aplicam-se Pneumáticos

em pisos irregulares como pisos externos tipo bloquete ou paralelepípedo, onde é necessário absorver os impactos através dos pneus. Já os

Superelásticos necessitam de pisos regulares. Feitos de duplo composto de borracha que não furam, são utilizados em indústrias de vidros,

metalúrgicas, etc., onde este risco é constante.

 

6. Qual o tipo de Transmissão devo escolher? 

Hoje é mais adotada a Transmissão Automática pela versatilidade no manuseio de inversão da transmissão e agilidade para o operador da

Empilhadeira. No entanto, vale lembrar que onde a Empilhadeira será muito exigida, como em rampas, por exemplo, é necessário a

transmissão manual ou câmbio mecânico que possuem mais força para vencer esses obstáculos, preservando assim a transmissão.

 

7. Empilhadeira à Combustão ou Elétrica, qual a melhor opção?

O uso de Empilhadeiras Elétricas é aplicado em indústria química, farmacêutica e alimentícia, sendo ecologicamente corretas por não

emitirem altos níveis de ruídos, nem monóxido de carbono, conforme normas que definem o uso em ambientes internos.

Já as Empilhadeiras à Combustão são mais robustas, podendo ser operadas nas mais diversas condições de uso como, por exemplo,

áreas externas, inclusive sob chuvas.